Ouro Negro forma salões em saúde

Salões de Beleza e a arte de viver saudável

Ouro Negro, a popular radionovela do UNICEF e PCI Media Impact acrescentou uma nova iniciativa a sua estratégia de comunicação para a saúde: o Salão Ouro Negro. 

Salão Ouro Negro junta quatro parceiros a PCI Media Impact, a N’weti e o Ministério de Saúde a uma série de salões de beleza na cidade de Maputo e Matola. No âmbito do projecto os salões recebem três cursos e um “starter pack” composto por produtos e revistas sobre a saúde que são de interesse para os clientes.

“Estamos sempre a procura de novas oportunidades de disseminar as mensagens de saúde”, diz Bert Sonnenschein, Director Criativo do Ouro Negro. Muitos programas têm activistas de saúde que vão as comunidades para darem palestras, mas o tempo que as activistas têm com a população é muito curto. Muitas das vezes gasta-se mais tempo a espera da reunião, do que no próprio encontro, e a iniciativa dura enquanto o programa sustenta as actividades. O salão Ouro Negro parte de uma outra abordagem: os salões já tem o seu sustento e para além da sua sustentabilidade, os cabeleireiros têm muito tempo com seus clientes várias vezes ao longo do ano.

Um estudo de base feito pela Ouro Negro mostrou que as mulheres gastam entre uma hora e meio a três horas numa visita a salão e falam de vários tópicos como é de namorados, maridos, filhos, gravidez, doenças, novelas, moda e comida. Os homens falam das mesmas coisas, mas gastam muito menos tempo no salão, embora os jovens costumam estar mais tempo do que os mais velhos.  

“Este tempo é ouro para o nosso programa”, diz João Mondlane da N’weti, “o tempo que a cabeleireira tem para conversar com seu cliente e a confiança que existe entre ela e seu cliente tornam esta relação em ouro para passar conhecimentos sobre a saúde”.

Saúde e beleza já andam naturalmente juntos. Muitos salões de beleza chamam-se.

O programa dá três cursos aos cabeleireiros. O primeiro curso, de empreendedorismo, é dado pelo IdeiaLab e decorreu na semana de 10 a 14 de Setembro na Yunn Eventos em Machava. No curso participaram 10 salões, a maioria, femininos e alguns unissexo. Em cinco dias os cabeleireiros analisaram seus clientes e seus serviços, aprenderam sobre marketing, contas, gestão de stock, microcrédito e fizeram os seus planos de acção muito concretos para o próximo mês. 

O segundo curso, daqui a um mês, vai ser sobre técnicas profissionais, tais como cuidados com cabelo, corte, trança, Manicura, Pedicura, maquilhagem e massagem. Cada salão é convidado a trazer mais um dono ou dona de um salão, para duplicar a rede de Salões Ouro Negro para 20. O curso está a responsabilidade do Cadino, dono dos Salões Carapinha e cabeleireiro de fama em Moçambique.

A última formação, Beleza e Saúde, realizar-se-á na segunda semana de Novembro, e será orientado pelo Ministério da Saúde e N’weti. O curso transferirá entre outros conhecimentos sobre planeamento familiar, métodos anticonceptivos, gravidez, cuidar de bebés, nutrição e visa capacitar as cabeleireiras para a promoção de saúde e comunicação interpessoal.

Com o conceito de Salões Ouro Negro espera-se criar uma rede sustentável de espaços seguros onde os clientes dos Salões não só saem mais bonitos, mas também mais saudável. O programa piloto vai até o fim de Setembro de 2019, depois desta data espera-se ter recolhida experiências suficientes para começar a expansão da rede.

“Para nos, o Salão Ouro Negro enquadra-se no conceito Rede – Radio – Bairro. Estamos a criar o Salão Ouro Negro para as redes sociais e televisão, para o rádio e para a vida real das pessoas”, diz o Bert Sonnenschein, “Estamos a trabalhar no conceito Ouro Negro 360, independentemente de onde as pessoas procuram, vão sempre apanhar um pouco de Ouro”.

Salão Ouro Negro… porque você merece!

 

 

 

 

Últimos Episódios

Assine o Podcast

Categorias